Campo Grande-MS 21.07.2017
Patagônia
Quarta-Feira, 20.06.2012 às 13:00
Patagônia
A Patagônia se espalha por áreas do Chile e da Argentina
Vanessa Corrêa da Silva - Folhapress, da Patagônia
Portal Top Vitrine
Vanessa Correa da Silva/Folhapress
Parque Nacional Torres del Paine

No extremo sul da cordilheira dos Andes, a Patagônia se espalha por áreas do Chile e da Argentina. Ao redor da pacata cidade chilena de Puerto Natales, a fauna é constituída de emas e guanacos, espécie de lhama patagônia.

No entorno do Cerro Benitez, na imagem ao lado, visitantes observam o reflexo das montanhas nevadas na superfície espelhada da lagoa Sofía.

Figura ilustre

Os espanhóis da primeira expedição de circum-navegação do globo (1519-1522), capitaneada pelo luso Fernão de Magalhães, estranharam o tamanho dos pés dos nativos do extremo sul do continente americano.

Chamaram esses aborígenes de patagões e, incumbidos de coletar exemplares da flora e da fauna, capturaram patagões que foram levados à Europa.

Para quando você for à Patagônia

PASSAGENS AÉREAS

SP-PUNTA ARENAS-SP
LAN (via Santiago): US$ 459

CONDIÇÕES
Preço de ida e volta em classe econômica, sem taxas, válido de 9 a 27/7 e de 4/10 a 15/12. Em alguns horários há escala em Puerto Montt

RESERVAS
LAN: 0300-7880045; www.lan.com

HOSPEDAGEM

EM PUERTO NATALES:

Plaza/Na CI: US$ 69**
Cabo de Hornos/Na Decolar: US$ 110***
Los Navegantes/Na Intravel: US$ 115****
Las Torres/Na Trade: US$ 230**
The Singular Patagonia: US$ 430*
Remota: US$ 1.950*****

CONDIÇÕES
Valores sujeitos a alterações
*Preço por pessoa em quarto duplo, com pensão completa incluindo bebidas e passeios com guia. Válido para setembro e outubro
**Preço por pessoa em quarto duplo, com café
***Preço para o casal, com café
****Preço para o casal, com café e taxas
***** Pacote de estadia mínima de três noites. Preço por pessoa para diário em quarto duplo, com pensão completa incluindo bebidas e passeios com guia.

RESERVAS
CI: 0/xx/11/3677-3600;
ci.com.br
Decolar: 4003-9444; www.decolar.com
Intravel: 0/xx/11/3206-9000; intravel.com.br
The Singular Patagonia: 00/xx/562/954-0480; thesingular.com/puertobories-pt
Trade Tours: 0/xx/11/3257-9788; tradetours.com.br
Remota: 00/xx/562/387-1500; www.remota.cl

Paisagens da Patagônia surpreendem no inverno

Guias de viagem costumam empregar a expressão "paisagens de tirar o fôlego" nas descrições de praticamente todos os destinos, seja uma praia paradisíaca do Nordeste brasileiro, seja uma cidadezinha italiana.
Mas, para falar da Patagônia chilena, no extremo sul da cordilheira dos Andes, é preciso se esforçar para encontrar palavras que driblem o lugar-comum ao descrever picos nevados, lagos e lagoas de águas verdes, geleiras de um branco profundo e imensas rochas escuras.
No inverno, a neve deixa as paisagens ainda mais bonitas, por isso vale a pena enfrentar as temperaturas negativas. Para quem não tem medo do frio intenso, a Patagônia reserva belos passeios.

TORRES DEL PAINE
A maior parte dos viajantes que visita a região da Patagônia perto da pacata cidade de Puerto Natales se destina ao parque nacional Torres del Paine. São ecoturistas atraídos pela paisagem e, também, pela diversidade da fauna e da flora.
Criado em 1957, esse parque onde vivem emas e guanacos (espécie de lhama), é catalogado pela Unesco como reserva da biosfera.
Com mais de 240 mil hectares (equivalente a 1.520 vezes a área do parque Ibirapuera, em São Paulo), o lugar reúne rios, quedas-d'água, montanhas, geleiras e uma infinidade de lagos.
O parque possui diversos pontos que fazem as vezes de mirantes. De um deles, localizado às margens do lago Nordenskjold, é possível avistar, em dias claros, os picos do Cerro Paine Grande e as Torres del Paine, formações rochosas em forma de torres que dão nome ao parque.
Outro local de onde se tem uma bela vista é o mirante Los Cuernos, que fica à beira da cascata Salto Grande. Dali, é possível enxergar a queda-d'água e o rio Paine.
As geleiras são outra sensação local. Com águas turvas, de um verde acinzentado, o lago Grey fica na região oeste do parque e abriga numa das extremidades o glaciar de mesmo nome.
Barcos levam os turistas para ver as geleiras bem de perto, em um passeio com três horas de duração. A maioria não pensa duas vezes antes de encarar o frio e se aventurar na parte externa do barco para ver as paredes de gelo, que em dias nublados adquirem bonitas tonalidades de azul.
Próximo ao glaciar, o frio se intensifica e pequenos flocos de neve começam a aparecer. Mesmo assim, os turistas não se intimidam, e a maioria chega até a tirar as luvas para poder fazer fotos de modo mais ágil.

INCÊNDIO CRIMINOSO
Em dezembro do ano passado, o parque nacional Torres del Paine foi vítima de um incêndio criminoso, provocado por um turista israelense.
O fogo atingiu 22 mil hectares do parque, um dos principais destinos turísticos da Patagônia chilena.
O local foi totalmente reaberto à visitação em janeiro deste ano. Em algumas áreas, ainda é possível constatar os estragos causados pelo fogo, em árvores com troncos enegrecidos e retorcidos e em campos sem vegetação.

Paisagens da Patagônia surpreendem no inverno

Guias de viagem costumam empregar a expressão "paisagens de tirar o fôlego" nas descrições de praticamente todos os destinos, seja uma praia paradisíaca do Nordeste brasileiro, seja uma cidadezinha italiana.
Mas, para falar da Patagônia chilena, no extremo sul da cordilheira dos Andes, é preciso se esforçar para encontrar palavras que driblem o lugar-comum ao descrever picos nevados, lagos e lagoas de águas verdes, geleiras de um branco profundo e imensas rochas escuras.
No inverno, a neve deixa as paisagens ainda mais bonitas, por isso vale a pena enfrentar as temperaturas negativas. Para quem não tem medo do frio intenso, a Patagônia reserva belos passeios.

TORRES DEL PAINE
A maior parte dos viajantes que visita a região da Patagônia perto da pacata cidade de Puerto Natales se destina ao parque nacional Torres del Paine. São ecoturistas atraídos pela paisagem e, também, pela diversidade da fauna e da flora.
Criado em 1957, esse parque onde vivem emas e guanacos (espécie de lhama), é catalogado pela Unesco como reserva da biosfera.
Com mais de 240 mil hectares (equivalente a 1.520 vezes a área do parque Ibirapuera, em São Paulo), o lugar reúne rios, quedas-d'água, montanhas, geleiras e uma infinidade de lagos.
O parque possui diversos pontos que fazem as vezes de mirantes. De um deles, localizado às margens do lago Nordenskjold, é possível avistar, em dias claros, os picos do Cerro Paine Grande e as Torres del Paine, formações rochosas em forma de torres que dão nome ao parque.
Outro local de onde se tem uma bela vista é o mirante Los Cuernos, que fica à beira da cascata Salto Grande. Dali, é possível enxergar a queda-d'água e o rio Paine.
As geleiras são outra sensação local. Com águas turvas, de um verde acinzentado, o lago Grey fica na região oeste do parque e abriga numa das extremidades o glaciar de mesmo nome.
Barcos levam os turistas para ver as geleiras bem de perto, em um passeio com três horas de duração. A maioria não pensa duas vezes antes de encarar o frio e se aventurar na parte externa do barco para ver as paredes de gelo, que em dias nublados adquirem bonitas tonalidades de azul.
Próximo ao glaciar, o frio se intensifica e pequenos flocos de neve começam a aparecer. Mesmo assim, os turistas não se intimidam, e a maioria chega até a tirar as luvas para poder fazer fotos de modo mais ágil.

INCÊNDIO CRIMINOSO
Em dezembro do ano passado, o parque nacional Torres del Paine foi vítima de um incêndio criminoso, provocado por um turista israelense.
O fogo atingiu 22 mil hectares do parque, um dos principais destinos turísticos da Patagônia chilena.
O local foi totalmente reaberto à visitação em janeiro deste ano. Em algumas áreas, ainda é possível constatar os estragos causados pelo fogo, em árvores com troncos enegrecidos e retorcidos e em campos sem vegetação.

Centenária, Puerto Natales cresceu ao redor de estâncias

DA ENVIADA À PATAGÔNIA

Puerto Natales é a capital da província da Última Esperança, localizada na parte sul da Patagônia chilena e assim chamada porque, em 1557, foi avistada pelo explorador espanhol Juan Ladrilleros no que era sua última esperança de encontrar o estreito de Magalhães.
A cidade foi fundada em 1911, tendo então como principal atividade econômica a criação de ovelhas. No início, a região atraiu principalmente imigrantes europeus de origem britânica e irlandesa.

ATIVIDADE RURAL
Os primeiros habitantes de Puerto Natales chegaram por volta de 1893 e começaram a construir estâncias para a criação de ovelhas.
O desenvolvimento dessa atividade deu origem à principal indústria local e levou à construção do frigorífico Bories, responsável pela tosquia e abate das ovelhas da região, cuja carne e lã eram exportadas para os diversos mercados europeus.
O frigorífico começou a ser construído em 1906 no povoado de Puerto Bories, a 5 km de distância de Puerto Natales, e teve suas obras concluídas em 1915. Tinha capacidade para armazenar até 850 mil toneladas de carne e, em seu auge, chegou a processar 250 mil ovinos por ano.
O local funcionou de 1915 a 1974 e contribuiu para o povoamento daquela parte da Patagônia, já que muitas pessoas saíram de outras regiões do Chile para trabalhar ali.
Na década de 1970, o frigorífico entrou em decadência. Foi completamente abandonado no início dos anos 1990.
Em 1996, foi declarado monumento histórico nacional do Chile, devido à sua importância histórica e cultural.
Nos últimos anos, o frigorífico passou por uma série de reformas e hoje abriga o luxuoso hotel The Singular, mas ainda é possível ver partes das instalações e do maquinário original, que foram preservadas e estão expostas nas dependências do hotel.

TURISMO E PESCA
De acordo com o censo demográfico de 2002, Puerto Natales possui cerca de 19 mil habitantes. A criação de ovelhas ainda é uma das atividades econômicas da região, mas divide espaço com a pesca e o turismo.
Em suas ruas bem cuidadas, charmosas construções de madeira abrigam casas, bares, restaurantes e lojas de artigos de lã e couro.
A história da região é lembrada no Museu Histórico Municipal, com artefatos de povos que viveram na área.
(VANESSA CORRÊA DA SILVA)

Gastronomia

Frutos do mar dominam menu local

Vieiras, mariscos e outros frutos do mar aparecem com frequência nos cardápios da Patagônia, onde um dos pratos típicos é a "centolla", um enorme caranguejo encontrado no oceano Pacífico.
Já quem prefere carne vermelha pode se servir de costeletas de cordeiro e experimentar o guanaco, animal parecido com a lhama.

Não se esqueça de levar

CALÇAS CONFORTÁVEIS
Você vai precisar delas para praticar trekking nas montanhas ou fazer cavalgadas

BOTAS OU TÊNIS
Também devem ser confortáveis, específicos para caminhadas. Se for inverno, o ideal é levar uma bota apropriada para a neve

LUVAS, GORRO E CACHECOL
Imprescindíveis no inverno, quando as temperaturas podem atingir até 20 graus negativos

ÓCULOS DE SOL
Mesmo no inverno, quando o sol costuma ser mais fraco, é recomendável levar óculos escuros por conta da claridade refletida na neve

PROTETOR E HIDRATANTE
Para proteger pele e lábios tanto do frio no inverno quanto do sol e dos fortes ventos no verão

JAQUETA IMPERMEÁVEL
No frio, prefira casacos mais grossos. Já no verão, opte por jaquetas do tipo corta-vento, que são mais finas, mas protegem bem

Visita a cavernas e cavalgadas trazem aventura ao passeio

DA ENVIADA À PATAGÔNIA

Ao lado de Torres del Paine fica o parque nacional Bernardo O'Higgins, que, com mais de 3,5 milhões de hectares, é a maior área protegida do Chile.
A região do parque abrange boa parte do Campo de Gelo Sul, onde se originaram os glaciares dessa região da Patagônia chilena.
Um dos mais bonitos é o glaciar Serrano, localizado em uma área alcançada apenas por meio de barcos, que navegam pelo fiorde Última Esperança.
Imponente, o glaciar parece uma grande cascata de gelo que escorre entre duas montanhas negras. Uma trilha pelo parque permite chegar bem próximo à geleira, onde grupos de turistas se reúnem para admirar o paredão de gelo refletido nas águas do fiorde --e tirar dezenas de fotos.

BICHO DAS CAVERNAS
Outro passeio interessante perto de Puerto Natales é o trekking na região das montanhas de Cerro Benitez.
Ali, guias conduzem os turistas até a caverna do Milodón, espécie de bicho-preguiça gigante que viveu naquela área (e foi extinto há cerca de 10 mil anos).
Descobertos por um pioneiro alemão em 1895, os vestígios do animal já não podem ser vistos, mas mais adiante, já no alto das montanhas, estão preservadas pinturas rupestres.
Rivalizando com as pinturas, a vista do alto do Cerro Benitez impressiona, com as montanhas do Cerro Mocho refletidas nas águas azul-escuras da lagoa Sofía.
cavalgada E VISUAL
Quando o clima permite, são organizadas cavalgadas para percorrer paisagens como a serra Dorotea, maciço rochoso que está localizado na fronteira entre o Chile e a Argentina.
Do alto da serra, tem-se uma vista panorâmica do golfo Última Esperança. No inverno, devido às chuvas e nevascas, as cavalgadas são menos frequentes, mas a maior parte dos lugares pode ser alcançada em caminhadas.
(VANESSA CORRÊA DA SILVA)

Pacotes para a Patagônia

COM AÉREO; PREÇO POR PESSOA EM QUARTO DUPLO

US$ 850
Cinco noites no Isla Rey Jorge, em Punta Arenas, com café. Na Decolar.com: 4003-9444; www.decolar.com.

US$ 1.474
Duas noites em Santiago e três em Puerto Natales, com café e transfers. Inclui passeio no parque nacional Torres del Paine, com almoço. Na Tia Augusta: 0/xx/11/3068-5111; www.tiaaugusta.com.br.

US$ 1.496
Cinco noites, sendo duas em Santiago e três em Puerto Natales, com café. Inclui navegação pelo rio Serrano e pelo lago Balmaceda, excursão a Torres del Paine, com entradas e almoço, city tour em Santiago e traslado entre Punta Arenas e Puerto Natales. New Line; 0800-606-2524; newline.tur.br.

US$ 1.843
Seis noites de hospedagem, sendo três em Santiago, uma em Punta Arenas e duas em Puerto Natales, com café. Inclui city tour em Santiago e visita ao parque nacional Torres Del Paine com lanche. Na Intravel: 0/xx/11/3206-9000; www.intravel.com.br.

US$ 1.272
Cinco noites, sendo duas em Santiago e três em Puerto Natales, com café. Inclui excursão ao parque nacional Torres del Paine, com almoço, e transporte de Punta Arenas a Puerto Natales. Na Top Brasil: 0/xx/11/5576-6300; www.topbrasiltur.com.br.

US$ 2.460
Cinco noites, sendo duas em Santiago, com café, e três no parque Torres del Paine, no hotel Torres del Paine, com pensão completa. Com tours e traslados. Na Freeway: 0/xx/11/5088-0999; www.freeway.tur.br.

US$ 2.283
Seis noites, sendo uma em Santiago (Marriott), três em Puerto Natales (Costaustralis) e duas em Punta Arenas (hotel Cabo de Hornos), com café e dois almoços. Inclui transfers, excursões e entradas. Na Terra Mater: 0/xx/11/3464-5100; www.terramater.com.br.

US$ 3.702
Seis noites, sendo quatro no hotel Explora Patagônia, com pensão completa (três refeições), e duas no hotel Torremayor, em Santiago, com café da manhã. Inclui excursões diárias na Patagônia com guia. Na Flot: 0/xx/11/4504-4500; flot.com.br.

US$ 4.919
Sete noites, sendo três em Santiago (Crowne Plaza) e quatro na Patagônia (Explora Patagonia). Inclui city tour em Santiago e seleção de excursões diárias na Patagônia. Na Agaxtur: 0/xx/11/3067-0900; www.agaxtur.com.br.

01 MARçO - SEX
A Washington de Lincoln
25 JULHO - SEX
Rio de Janeiro disponibiliza roteiros em tablets e celulares
08 JUNHO - SEG
Milão ganha novo hotel de luxo: o ME Milan Il Duca
19 MARçO - SAB
O verdadeiro espírito parisiense no Saint Germain des Prés
Busca Detalhada
Utilize a busca avançadas do site para encontrar o que deseja em termos de noticías.