Campo Grande-MS 23.04.2017
Conheça o Centro de Reabilitação de Animais Silvestres
Sexta-Feira, 13.06.2014 às 21:17
Conheça o Centro de Reabilitação de Animais Silvestres
Eles tratam e devolvem à natureza animais que sofrem algum tipo de trauma
Paulo Renato Coelho Netto
Portal Top Vitrine
Paulo Renato Coelho Netto
Centro de Reabilitação de Animais Silvestres
Paulo Renato Coelho Netto
Atualmente o Cras trata cerca de 1.500 animais
Paulo Renato Coelho Netto
Mais de 50% dos animais são vítimas de tráfico
Paulo Renato Coelho Netto
Cras é aberto à visitação e a entrada é gratuita

Na Galeria de fotografias do Portal Top Vitrine você vai conhecer o Cras, Centro de Reabilitação de Animais Silvestres em Campo Grande, capital de Mato Grosso do Sul.

 

Criado em 1987, o centro tem como objetivo tratar e devolver à natureza animais que sofrem algum tipo de trauma, ou seja, atropelamento nas cidades ou rodovias, maus tratos, cativeiro sem permissão ambiental, queimaduras em incêndios florestais e também os que são vítimas de contrabando.

 

“Estima-se que desde 1987 o Cras tenha cuidado e devolvido mais de 38 mil animais ao seu habitat natural. É o único centro do gênero em Mato Grosso do Sul”, explica Elson Borges, biólogo e coordenador do Cras.

 

Atualmente o Cras trata cerca de 1.500 animais silvestres, entre mamíferos, répteis, aves do cerrado e do pantanal brasileiro.

 

O centro recebe ainda animais da Mata Atlântica e do Amazonas que são reencaminhados para a origem, após receber os cuidados necessários.

 

Tráfico

 

Mais de 50% dos bichos que chegam ao Cras são vítimas de tráfico, principalmente o canário peruano e filhotes de papagaio, esses últimos apreendidos em massa nos meses de setembro e outubro.

 

Os papagaios são capturados ainda no ninho pelos contrabandistas em Mato Grosso do Sul, principalmente no sul do Estado, no Vale do Ivinhema.

 

As formas de captura são as mais perversas possíveis, entre elas, para prender uma ave adulta, chega-se a espalhar cola nos troncos impedindo-a de alçar voo novamente.

 

Os animais levados ao Cras por contrabando são os que apresentam pior estado de saúde. Chegam desidratados, famintos, alguns bastante machucados e até mortos.

 

Para escondê-los da fiscalização os contrabandistas geralmente os colocam em caixas com pouca ou nenhuma ventilação. Vários morrem asfixiados. A mortalidade chega a 20% nesses casos. Outros, por mais que recebam cuidados, também não sobrevivem pelo estado crítico que chegam ao local.

 

Caçar, pescar, capturar e manter animais em cativeiro sem permissão do órgão ambiental é crime no Brasil previsto na Lei Federal 9.605/98.

 

O Cras é aberto à visitação pública e a entrada é gratuita.

 

É frequentado por turistas brasileiros e estrangeiros, em sua maioria, famílias, grupos escolares, estudantes universitários, biólogos, zootecnistas, médicos veterinários e áreas afins ambientais.

 

Localização

 

O Centro de Reabilitação de Animais Silvestres fica no Parque Estadual do Prosa, é vizinho do Parque Estadual das Nações Indígenas e do Parque dos Poderes.

 

De carro fica a menos de dez minutos do centro de Campo Grande. Há várias linhas de ônibus que passam em frente ao Cras, sentido Avenida Mato Grosso ao Parque dos Poderes.

 

Estágio

 

O centro também oferece estágio para estudantes brasileiros e estrangeiros.

 

Serviço

 

Visitação às terças-feiras, quintas e sábados

Horários: 8h, 8h30, 14h e 14h30

É preciso agendar pelo telefone (67) 3326-1370

As visitas são acompanhadas por um guia do Parque do Prosa

A entrada é gratuita

27 OUTUBRO - QUI
Aviões ecologicamente corretos
18 ABRIL - QUI
Patrocínio a atividades ambientais
14 SETEMBRO - SEX
Plataforma Ambiental 2012
05 NOVEMBRO - QUA
Greenpeace: destruição da floresta não para em Mato Grosso
Busca Detalhada
Utilize a busca avançadas do site para encontrar o que deseja em termos de noticías.