Campo Grande-MS 22.07.2017

Pedro Mattar

Publicitário e Cronista

compartilhe:

Sexta-Feira, 11.03.2016 às 12:25

A vida como ela não é

O objetivo básico da vida terrena é simplesmente nenhum

Pedro Mattar

Para o Portal Top Vitrine

Acabei descobrindo a origem humana. Elementar, porra. Nossa origem vem do orgasmo, esse prazer complementar incorporado nas transas. Lembra? Ou você nunca participou? E eu preocupado com outras versões espalhadas por aí, pressionado para abandonar minha cegueira mental e aderir às divindades disponíveis no mercado. Veja só, dormia quando me ocorreu o simples. Não o imposto, mas a síntese existencial.

 

No lugar de sair procurando a verdade, mesmo dormindo, decidi me ater aos fatos. A gente tem pai e mãe pra quê? Foi o começo do meu raciocínio. Eles transaram e fui gerido, essa figura idiota que você lê. Pois é, como idiota de plantão divido com você a minha descoberta. Não quero royalties, lego à humanidade esta minha descoberta. Sugiro que guarde este documento.

 

Você pode continuar - se quiser - buscando a verdade sobre suas origens em todos os cantos do mundo. Irá chegar onde eu cheguei. A verdade estava instalada dentro de mim. Pra que ficar queimando neurônios em busca de respostas, se um sujeitinho como eu, na sua limitação cabocla e rudimentar já chegou lá. A curiosidade humana não se conforma: todos querem saber qual o nosso objetivo e para onde iremos depois que preenchermos nossa cota como viventes. Mania turística.

 

Pois bem, sabendo disso já havia feito minhas pesquisas e estudos a respeito. Tenho conclusão baseada em fatos. Meus levantamentos indicam que o objetivo básico da vida terrena é simplesmente nenhum. E não venham com teses e hipóteses mirabolantes porque isso irá contrapor experiências cientificamente comprovadas por mim mesmo. Por ser igual a qualquer ser humano, me declaro tão competente quanto pretensas autoridades sobre o assunto. Com a diferença que não ganho nada com isso e nem acho que templo é dinheiro.

 

Amigos leitores, tenho consciência de que encho o saco de vocês e que minhas ideias são polêmicas, mas não dá pra levar a vida à sério. Tentem sobreviver dando risadas porque tudo parecerá mais razoável. Cansei de ficar indignado e sair agitando bandeiras contra e a favor disso e daquilo. Decidi cavalgar montado no humor e sair galopando na pradaria do cotidiano.

 

Não consigo mentir pra mim e, menos ainda pra você. Se você acha que o futuro pode ser um período melhor, sem corrupção, sem inconsequências e com harmonia entre as pessoas e os povos, melhor preparar seu estoque de papel higiênico. O passado é o documento de que o futuro será um remake do que já ocorreu. O que irá mudar é a roupagem, novos figurinos, novas tecnologias e aperfeiçoados métodos de sacanagem.

 

Juro, não sou pessimista, sempre desfruto os bons momentos que passam por mim. Aprendi a ter consciência deles e aproveitá-los intensamente. Faça isso. Só que botei na cabeça que não tenho mais direito de bancar o ingênuo. Não estou recomendando que você seja infeliz por desistência. Espero apenas que você use a inteligência para aproveitar melhor as boas coisas que existem. Enquanto ainda existem.

comentários (1)

Pedrinho, meu grande cronista! Que bom saber que seus deliciosos textos ainda estão ao nosso alcance. Bom demais! bjs

theresa 17.03.2016 - 13:47
comentários (1)

nome

e-mail

comentário

Pedro Mattar

Pedro Mattar tinha 77 anos, até ontem, e hoje soma mais um ou mais dias, dependendo da data desta publicação... É publicitário, rebelde sem o mínimo motivo e exerceu diversos cargos em empresas e administrações públicas, os quais tem vergonha de citar. Como escritor, acha que é o maior leitor de si mesmo. Sob essa perspectiva, subscreve atenciosamente, sem assinar. Desde julho de 2011 é articulista semanal do Portal Top Vitrine.

pedromattar@uol.com.br

Filtrar Resultados

Utilize a busca avançadas do site para encontrar o que deseja.

Blogs & Colunas

Utilize a busca avançadas do site para encontrar o que deseja.